Prefeito inaugura Centro Cultural Neide Clemente Lemes

Distrito de Limpo Grande ganha Centro Cultural que visa devolver oportunidade ao trabalho de tear das artesãs

O Distrito de Limpo Grande ganhou um Centro Cultural que visa devolver oportunidade ao trabalho de tear das artesãs que por séculos tecem verdadeiras


obras de artes. A história das redes se confunde com a própria história do Distrito de Limpo Grande e de Várzea Grande e são chamadas de cuiabanas,


porque na época que ganharam notoriedade, Várzea Grande ainda era um distrito da Capital de Mato Grosso.


O prefeito Kalil Baracat e a primeira-dama e promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat, além do secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Silvio Fidelis inauguraram as obras do Centro Cultural Neide Clemente Lemes no distrito do Limpo Grande. A entrega do centro faz parte da comemoração pelo aniversário dos 156 anos de Várzea Grande.


“Um ano após o lançamento do projeto, estamos voltando aqui ao distrito do Limpo Grande, juntamente com a primeira-dama, Kika Dorilêo Baracat, e da minha equipe de trabalho para entregar à população desta comunidade, especialmente para a associação das redeiras, esse espaço digno, adequado e que será muito importante para que nossas artesãs exponham seus trabalhos, promovam encontros, simpósios, cursos e também receber os turistas para visitar o local, além de comercializar o artesanato genuíno de Várzea Grande”, disse Kalil.


O prefeito destacou que, com a criação da associação, as redeiras do Limpo Grande, incentivada pela primeira-dama, Kika Dorilêo Baracat, possibilitou que as artesãs tivessem apoio para a participação de feiras importantes dentro e fora do estado de Mato Grosso para a divulgação dos seus trabalhos. “Fico muito feliz em investir na cultura, investindo de forma que as futuras gerações possam dar continuidade nesta tradição fantástica e única no mundo que são as redes e o artesanato produzido aqui no Limpo Grande”, pontuou.


Ele sinalizou que o espaço vai ser fomentado pela Associação das Redeiras de Limpo Grande – TeceArte em conjunto com a Prefeitura de Várzea Grande para realizar eventos que levem as pessoas até o Limpo Grande e possam difundir da melhor maneira que existe toda as informações e valores deste pessoal secular que produz arte, produz riqueza, produz cultura, produz história para a eternidade e para todas as gerações.


Para o secretário Silvio Fidelis, as ações de valorização das artesãs do Limpo Grande tiveram início muito antes da idealização do Centro Cultural. “Durante esses três anos da gestão Kalil/Hazama, já foram oportunizadas 12 viagens para municípios de Mato Grosso e para outros estados, onde as artesãs do Limpo Grande puderam levar, divulgar e comercializar os trabalhos de Várzea Grande por todo o país”, informou.


Fidelis disse ainda que, com ações efetivas da administração, o resgate da cultura tradicional de Várzea Grande pôde florescer e hoje é uma realidade no município.


O evento ainda contou com a presença Maria Lígia Borges Garcia, ex-primeira-dama, esposa do ex-governador de Mato Grosso Garcia Neto (1974/1978), que, com a experiência dos seus 95 anos, elogiou a iniciativa pela inauguração da Casa de Sarita, da construção do Centro Cultural e pela valorização do artesanato centenário do Limpo Grande.


Jilaine Maria da Silva, presidente da TeceArte, Associação das Redeira do Limpo Grande, parabenizou o prefeito Kalil Baracat e sua equipe pela realização do sonho da comunidade local que era um espaço como aquele do Centro Cultural. “Nossa tradição é antiga, atravessa gerações e nossa Associação vai fazer 2 anos e com o incentivo da primeira-dama, juntamente com a equipe do GAAT, conseguimos viabilizar e colocar o trabalho das redeiras do Limpo Grande em evidência nacional”, comentou.


A presidente da TeceArte destacou também a grande conquista que foi a assinatura das peças produzidas pela Associação, que certifica a origem, agregando mais valor às obras. “A assinatura atesta as obras de nosso coletivo formado por 55 mulheres artesãs que compõem a Associação. Lembrando também que a Associação conquistou o Prêmio TOP 100 do SEBRAE em nível nacional, que chancela também a qualidade dos nossos trabalhos”.


Durante a visita ao Centro Cultural, o prefeito Kalil Baracat e a primeira-dama e promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat, contemplaram a pintura ao vivo de um painel do artista plástico Ozires Paulo, bem como o tear sendo executado por artesãs do Limpo Grande.


Antes de concluir, Kalil Baracat lembrou como fundamental a união de todos na busca de soluções e principalmente, no fato, de que a simples assinatura nas redes por parte das artesãs que produzem as mesmas, assegura direito, “pois cada peça é única, pois é feita fio a fio e com detalhes que são definidos pelas tramas que de cada tear”, frisou Kalil Baracat.


Já a primeira-dama, Kika Dorilêo Baracat, assinalou que manter uma tradição secular se tornou uma missão para ela, reconhecendo como brilhante o trabalho realizado pelas artesãs e que tem reconhecimento mundial. “Não podemos deixar uma tradição que vem passando por gerações de pessoas, inclusive de nativos em Mato Grosso deixe de existir, por isso, qualquer iniciativa voltada para potencializar as redes são fundamentais”, frisou ela sinalizando que não faltará por parte da gestão Kalil Baracat determinação e afinco na ajuda para toda e qualquer manifestação cultural.